Cheringoma: PRM diz que Renamo é responsável pelo assassinato de seis pessoas

A Polícia da República de Moçambique (PRM) confirma serem homens armados da Renamo que sexta-feira última, mataram a tiro seis pessoas, queimando-as de seguida, em Cheringoma, província central moçambicana de Sofala.

O porta-voz do Comando – Geral da PRM, Inácio Dina, disse  tratar-se de homens da Renamo que se fazem passar de forças de defesa e segurança com o objectivo de desestabilizar o país e denegrir a imagem dos que, com sacrifício, defendem as populações.

É um facto que é a Renamo que está a cometer as atrocidades que temos vindo a registar. Lamentamos profundamente o facto destes homens armados da Renamo procurarem confundir a opinião pública, fazendo-se passar de forças de segurança no cometimento de actos bárbaros, disse Dina.

O porta-voz da PRM falava em Maputo, a capital moçambicana, no habitual briefing semanal à imprensa.

Não se trata de uma atribuição. É, de facto, o que se tem verificado. O grupo que acorreu ao local, depois de se ter conhecimento da ocorrência, teve informações claras de que se tratava de homens armados da Renamo, sublinhou ele.

Segundo a fonte, outro dado que comprova tais constatações é o ataque e saque ocorridos contra quatro viaturas, naquela mesma região, que também culminou com espancamento de cidadãos indefesos.

A Polícia apela às populações a se manterem vigilantes, sob ponto de vista de provável utilização dessa mesma artimanha em futuras incursões.

Contudo, Dina caracterizou a situação operativa geral, na semana passada, como tendo sido razoável, mercê do esclarecimento de 105 casos criminais, dos 127 registados.

Destes crimes, 73 são contra propriedades. No período homólogo de 2015 registaram se 96 casos. Houve também redução no tocante aos crimes contra pessoas, sendo 41 contra 49.

Quanto a acidentes de viação, ocorreu uma redução na ordem de 43 por cento dos casos, registando-se 27, contra 44.

Pelo menos 22 pessoas morreram em consequência destes acidentes, contra 26 de igual período de 2015. Houve, ainda, 26 feridos graves, contra 41.

Os atropelamentos continuam a ser os acidentes mais frequentes, seguindo-se despistes e capotamentos.

Velocidade excessiva foi a causa maioritária dos acidentes. Dos 25 casos registados, 24 foram provocados por esta causa.

No período em análise, a Polícia fiscalizou pelo menos 42.660 viaturas, tendo apreendido 50 livretes e multado 5.088 automobilistas. Pelo menos 11 automobilistas foram detidos por condução ilegal.

Nas suas operações, a corporação recuperou 25 viaturas, 30 motorizadas que haviam sido roubadas, e apreendeu 59 quilogramas de cannabis sativa e 15 quilogramas de sementes desta, entre outras apreensões.

Ao todo foram detidos 901 indivíduos, sendo 742 por violação de fronteira, 157 por prática de delitos comuns, dois por imigração ilegal, incluindo os 11 detidos por condução ilegal.

As autoridades policiais realizaram campanhas no contexto da segurança rodoviária, tendo abrangido 42.590 peões, 18.700 condutores, 4.386 ciclistas, 16.045 vendedores, cerca de nove mil alunos e aproximadamente sete mil motociclistas.
Share on Google Plus

About Moz no Ar Oficial