Dilma Rousseff dispensa advogado no julgamento


A presidente do Brasil com mandato suspenso disse esta quarta-feira que vai fazer pessoalmente a sua defesa no julgamento do impeachment (destituição), que começa no Senado no próximo dia 25.


Citada pelo jornal Folha de S.Paulo, Dilma Rousseff disse que "será a manifestação de uma Presidente que irá ao Senado e que está sendo julgada por um processo de impeachment sem crime de responsabilidade".


Questionada se não temia críticas e perguntas agressivas de alguns opositores que devem discursar, Dilma Rousseff explicou que não tem medo e que já suportou tensões bem maiores na sua vida. "É um exercício de democracia",completou.

A data em que Dilma Rousseff vai comparecer no julgamento ainda não está definida.

Hoje o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, reúne-se com os líderes dos partidos para definir os procedimentos a adotar no julgamento e deve marcar também a data em que a Presidente afastada poderá fazer pessoalmente a sua defesa.

Dilma Rousseff é acusada de ter cometido crimes fiscais para melhorar as contas públicas atrasando pagamentos devidos aos bancos e de ter permitido gastos extras no orçamento sem aprovação prévia do Congresso, numa altura em que a meta fiscal do país já estava comprometida.

Para Dilma Rousseff perder definitivamente o cargo 54 dos 81 senadores devem se manifestar a favor da sua cassação em uma votação que acontecerá no final do julgamento. Se for condenada, Dilma Rousseff também perderá o direito ocupar cargos públicos por oito anos.
Share on Google Plus

About Moz no Ar Oficial