Polícia pode responsabilizar quem movimentou o corpo do jovem que caiu do prédio em construção



O Indivíduo que recolheu os restos mortais do servente de pedreiro, André Macamo, na obra Niassa Residence, na avenida 24 de Julho, poderá ser indiciado de crime caso se prove que o acto embaraçou a perícia da Polícia de Investigação Criminal (PIC).

Esta informação foi confirmada pelo porta-voz do Comando da Polícia da República de Moçambique (PRM) a nível da cidade de Maputo, Orlando Mudumana.


A fonte recordou que em situações de acidente, o procedimento é esperar pela chegada da Polícia para que esta faça a necessária perícia sobre as circunstâncias em que este ocorreu.


Depois da queda e consequente morte do jovem pedreiro, um indivíduo apressou-se em remover o corpo do malogrado tendo o transportado num camião, coberto por uma lona preta.


Mais tarde tal pessoa terá se dirigido à segunda esquadra que sita na Avenida Julius Nyerere, no bairro da Polana Cimento, para apresentar uma queixa.


André Macamo morreu terça-feira ao cair do 24º andar de um prédio em construção onde, na avenida 24 de Julho.


A obra Niassa Residence pertence à Sociedade Empreendedorismo e Imobiliários (SEI).
Share on Google Plus

About Moz no Ar Oficial