ESFAQUEAMENTO DE ALUNO NA “JOSINA”: Criada Comissão Inquérito para esclarecer a ocorrência - MoznoAr

===DISTRIBUINDO NOVIDADES NO AR===


Hot

Post Top Ad

Your Ad Spot

terça-feira, 20 de setembro de 2016

ESFAQUEAMENTO DE ALUNO NA “JOSINA”: Criada Comissão Inquérito para esclarecer a ocorrência


O GOVERNO criou ontem uma comissão de inquérito para investigar as razões que terão levado um aluno da Escola Secundária Josina Machel a esfaquear um seu colega, em pleno recinto escolar, na passada sexta-feira.

A comissão tem como missão esclarecer os motivos que estiveram por detrás da violência entre colegas no pátio da instituição. Ela foi criada depois de um encontro a porta fechada, que durou cerca de duas horas numas das salas da “Josina”.

No encontro estiveram presentes o Ministro e vice do pelouro da Educação e Desenvolvimento Humano (MEDH), Jorge Ferrão e Armindo Ngunga, respectivamente, a governadora da Cidade de Maputo, Iolanda Cintura, membros da direção e do Conselho de escola, para além dos professores.

De acordo com o porta-voz da comissão de inquérito, Armindo Muiambo, constituída por professores, encarregados de educação e membros do MEDH, esta foi criada por ainda existir pouca informação sobre o incidente.

Conforme disse Muiambo, “o aluno (que agrediu) ainda não será expulso”, embora de acordo com o regulamento institucional esta devia ser a acção imediata por parte da direcção. O porta-voz esclarece que o objectivo é “resgata-lo para que possa ser integrado”.

Entretanto, os alunos que testemunharam a cena narraram que o que esfaqueou (de 19 anos de idade, a frequentar a 10º classe) já tinha sido vítima de chacota por parte de outros colegas e ele não respondia.

Dados obtidos de uma testemunha na escola referem que um dia antes, ambos haviam se envolvido numa rixa. Já na sexta-feira, o esfaqueado (de 18 anos, a frequentar a 10ª classe) quis continuar com a luta, pois, “não tinha-se convencido que apanhou no dia anterior”.

O aluno golpeado, continua a fonte, depois da entoação do hino nacional, enquanto caminhavam para as salas de aulas agrediu ao outro com uma cadeira de madeira e depois com um pau de basebol. “Bateu-lhe na testa”, acrescenta.

Segundo esclarece a mesma testemunha, o outro, sacou da mochila um canivete com a qual desferiu golpes, exigindo que seu colega se desculpasse.

Os alunos acrescentam ainda que lutas no pátio da “Josina” acontecem “quase” todos os dias. Tais contendas envolvem alunos de “gangs” diferentes, criadas nos grupos da rede social “Whatsapp”.  

“As vezes só de chegar um aluno com uniforme de outra escola a pancadaria começa”, conclui.


 Veja o Video:
                         

Post Top Ad

Your Ad Spot