Mediadores Internacionais foram pressionado para não falarem da emboscada na Gorongosa - MoznoAr

===DISTRIBUINDO NOVIDADES NO AR===


Hot

Post Top Ad

Your Ad Spot

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Mediadores Internacionais foram pressionado para não falarem da emboscada na Gorongosa


Depois da emboscada que Afonso Dhlakama confirmou Durante a sessão realizada depois de a entrevista de Dhlakama já ter sido divulgada, Mario Raffaelli estava perturbado.





Os mediadores internacionais nas negociações escaparam a uma emboscada no passado sábado, quando pretendiam ir ao encontro do presidente da Renamo, Afonso Dhlakama, nas matas da Gorongosa. O encontro foi preparado de forma confidencial entre Filipe Nyusi, Afonso Dhlakama e o próprio Mario Raffaelli, e estava marcado para se realizar entre as 10h00 e as 11h00, próximo da base de Siwe, nas matas de Gorongosa.

Mario Raffaelli, chefe dos mediadores internacionais, e Jonathan Powell, representante de Tony Blair nas negociações, já estavam na Gorongosa e prestes a ir ao encontro de Dhlakama, quando as Forças de Segurança abriram fogo nas imediações do local onde o encontro deveria realizar-se. 

Afonso Dhlakama – que confirmou a ocorrência da emboscada ao semanário “Canal de Moçambique” [ler na edição de 26 de Outubro] – foi quem telefonou a Mario Raffaelli, para cancelar o encontro, por falta de condições de segurança, pois, na sua leitura, tratava-se de uma emboscada.

Mario Raffaelli e Jonathan Powell estavam acompanhados por dois oficiais do Exército e dois da Renamo e tiveram de regressar a Maputo.

Acontece que Mario Raffaelli foi pressionado para não falar na emboscada.

Na passada terça-feira, quando questionado por jornalistas, disse que se tratava de um boato. Mas Afonso Dhlakama confirmou, com detalhes, a ocorrência da emboscada, em entrevista ao “Canal de Moçambique”, na sua edição de ontem, quarta-feira.

Post Top Ad

Your Ad Spot