Energia elétrica passa a custar mais cara no país - Moçambique - MoznoAr

Breaking

Post Top Ad

Responsive Ads Here

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Energia elétrica passa a custar mais cara no país - Moçambique

Novas tarifas de energia eléctrica vigoram a partir de hoje no país, segundo confirmou ontem ao “Notícias” o presidente do Conselho de Administração da Electricidade de Moçambique (EDM), Mateus Magala.

Com efeito, conforme a explicação dada pela EDM, a tarifa social (consumos abaixo de 100 KW/hora/mês) não irá registar quaisquer alterações, tendo em conta que se trata de consumidores de baixa renda.

Os consumidores integrados no grupo da tarifa de baixa tensão agrícola passarão a pagar mais um metical por Kw/hora, enquanto os da média alta registarão um agravamento 1,42 meticais por Kw/hora. Os da média tensão agrícola passam a pagar mais 69 centavos.

A medida é justificada pela necessidade assegurar uma estrutura e robustez financeira que permita a continuidade de fornecimento de energia com qualidade e segurança, bem como a realização de acções de manutenção, reforço e expansão dos sistemas eléctricos.

Falando à margem da assinatura do acordo de financiamento, pelo Governo do Reino da Noruega, de um projecto de painéis solares a ser implementado no distrito de Mocuba, província da Zambézia, Mateus Magala reiterou que o sector precisa de investimento para que até 2030 se cumpra a meta de acesso à energia para todos os cidadãos.

“Não podemos olhar para o reajuste como uma questão que nos assombra, mas como meio para mobilizar recursos para a realização desse projecto”, referiu.

Ele apelou para que não se encare a situação como uma penalização, mesmo porque se buscou um ajuste que não penalizasse as camadas mais desfavorecidas.

Entretanto, o projecto de painéis solares de Mocuba é o primeiro do género a ser implantado no país, com capacidade para 40 Mw. O mesmo vai beneficiar as regiões centro e norte do país, particularmente a zona franca e industrial.


O financiamento do projecto é tripartido entre o Governo da Noruega, que desembolsa 64 milhões de dólares, IFC, do Grupo do Banco Mundial, 16 milhões e EDM, 3,5 milhões de dólares.

Post Top Ad

Responsive Ads Here