FMI “desiste” de tomar medidas correctivas sobre dívidas ocultas de Moçambique

Segundo um comunicado do Ministério da Economia e Finanças segunda-feira citado pelo Diário de Moçambique, a decisão foi tomada na reunião realizada no passado dia 21, em Washington, capital dos Estados Unidos da América, na qual aquele órgão apreciou o relatório da directora executiva da FMI, Christine Lagarde, sobre os referidos empréstimos omitidos pelas autoridades moçambicanas.

Com efeito, o Conselho de Administração daquela instituição saudou as medidas fiscais e monetárias em curso, para garantir o retorno ao equilíbrio macroeconómico, contrariando os efeitos negativos derivados da suspensão do financiamento ao Orçamento do Estado e a programas sectoriais, por parte dos parceiros de cooperação no início do corrente ano.

Por outro lado, o FMI saudou o início da auditoria internacional independente aos empréstimos contraídos pelas empresas com garantia do Estado e saudou as medidas em curso para a introdução de reformas para melhorar a gestão da dívida e reforço de requisitos para a emissão de garantias para empréstimos, bem como aumento da transparência na contratação de dívida pública, tendo exortado as autoridades a implementar as medidas já acordadas de forma abrangente e em tempo útil.


De acordo com a mesma fonte, o Fundo Monetário internacional reiterou o compromisso de prosseguir um engajamento construtivo com a República de Moçambique.
Share on Google Plus

About Moz no Ar Oficial