Camionista apanhado a vender combustível perto de local de explosão que matou 102 pessoas



Um motorista foi detido na província central de Tete, por alegadamente vender combustível na via pública, perto do local da explosão de um camião-cisterna, que matou 102 pessoas ha ttrês semanas.

“Não se explica que a menos de um mês da tragédia de Caphirizange (Tete), os camionistas se envolvam ainda na venda ilegal de combustível”, afirmou Paulo Auade, Governador de Tete, citado pela RM.

Segundo avançou o diário de Moçambique, o governador constatou o negócio ilegal quando regressava de Mutarara (Tete), numa visita de trabalho, e mandou parar a sua comitiva, ao ver combustível a ser retirado do tanque do camião para bidons de vinte litros.

“São vocês que criam problemas nas estradas. Portanto, vamos falar com o teu patrão para tomarmos as medidas, porque esta situação não pode continuar”, disse Paulo Auade ao camionista.

Quando foi abordado pelo governador, o camionista, de nacionalidade moçambicana, recusou que estivesse a traficar combustível.

“Estou a sair da Beira com esta carga para Mutarara. Quando cheguei aqui vi que o combustível deste tanque não ia chegar a Mutarara, por isso parei e pedi bidões à população para poder fazer a transferência”, explicou.

Add to Anti-Banner
Share on Google Plus

About Moz no Ar Oficial