HIV:Nyusi defende programas interligados para prevenção de novas infecções



O Presidenteda República Filipe Nyusi, instou hoje aos actores sociais e parceiros a apostarem na interligação de programas de difusão de mensagens de prevenção contra o HIV/SIDA por forma a se alcançar a meta de zero novas infecções até 2030, no país.

O chefe de Estado que falava, em Maputo, na cerimónia alusiva as comemorações de Um de Dezembro, dia mundial de luta contra o HIV/SIDA, destacou que no presente ano foram criadas, em Moçambique, condições técnicas para que cerca de 90 por cento das pessoas vivendo com o vírus tenham acesso ao tratamento anti-retroviral.


Segundo o Presidente citado pela AIM, Moçambique, conta com mais de 922 mil pessoas infectadas das quais 70 por cento são crianças, sendo que o grande desafio é garantir que estes pacientes tenham acesso e permaneçam no tratamento.


"Nos últimos anos, Moçambique registou progressos na luta contra o HIV/SIDA. As novas infecções reduziram em 25 por cento de 2011 a 2013. A transmissão vertical também reduziu de 11,9 para 6,2 por cento, em 2015"
, explicou Nyusi.

Apesar dos avanços, segundo o estadista moçambicano, ainda há muito por fazer para se alcançar as metas preconizadas dai que as lideranças, a todos os níveis, incluindo tradicionais e religiosas, bem como de médicos tradicionais, são chamadas a assumir papel preponderante nesta luta, transmitindo mensagens claras de combate ao HIV/SIDA.

Este ano, o dia mundial de luta contra o HIV/SIDA comemora-se sob o lema
Por amor à vida eu protejo-me do HIV e SIDA.
Share on Google Plus

About Moz no Ar Oficial